RSS

Arquivo de etiquetas: Argentina

Bariloche: Cerro Catedral

Depois de ter conhecido o Cerro Otto e Cerro Campanário, chegou finalmente o momento de visitar o Cerro Catedral, que é a estação de esqui oficial da cidade e o principal destino de todos os turistas e muitos locais durante o inverno. Como já mencionei nos primeiros posts, nossa viagem a Bariloche foi em junho, portanto antes do início da temporada de inverno na cidade. Por esse motivo, apesar de já ter muita neve na montanha, a estação não estava oficialmente aberta. Apesar desse fato, o passeio até o Cerro é interessante, não só para conhecer sua estrutura e imaginar como fica durante a temporada, mas também para subir no único teleférico disponível e ver o visual lá de cima. Se você quiser saber o calendário de Cerro Catedral, assim como preços, horários, serviços disponíveis e diversas outras informações importantes, consulte o site oficial nesse link. São ao todo mais de 50 pistas de diversos níveis de dificuldade, portanto independente do seu nível, sempre haverá uma opção adequada.

Cerro Catedral Clique na imagem para ampliar

Como sempre em Bariloche, o primeiro passo é decidir como chegar ao destino. Todas as agências vendem passeios e qualquer táxi ou remis pode te levar até o Cerro Catedral, mas sem dúvida nenhuma a melhor opção custo-benefício é o ônibus municipal da companhia 3 de Mayo. Eles oferecem um ônibus exclusivo que leva até o Cerro Catedral e faz várias paradas no centro e algumas na Avenida Bustillo. Especificamente no centro, ele percorre toda a Avenida Moreno, que é paralela a Mitre, portanto ideal para quem está hospedado na região. No nosso caso, pegamos no ponto na Moreno entre Palacios e Beschedt. Você pode consultar todos os horários e paradas no site oficial da companhia ou de Bariloche nesses links: horários, trajeto e horários e paradas. A tarifa é somente 10 pesos por pessoa e você pode pagar diretamente ao motorista, não necessitando de um cartão recarregável, o que facilita o processo mas deixa o embarque um pouco mais lento. Mesmo com todas as paradas, levamos em torno de 30 minutos para chegar ao Cerro.

Cerro Catedral

Na base da montanha fica toda a estrutura da estação, com diversos serviços, lojas e restaurantes. A neve nesse ponto estava rala também, ao contrário do que veremos mais adiante no topo da montanha. Infelizmente estava tudo meio as moscas por conta das atividades não terem iniciado, mas como a estação iria abrir em menos de 1 semana, já tinha algumas opções abertas. Por esse motivo tivemos que imaginar como deve ficar cheio essa região e como deve ser o burburinho na alta temporada. Uma dica importante é se você viaja com crianças, ou simplesmente tem vontade de fazer um esquibunda leve, o ideal é comprar uma prancha nas lojas antes de subir, pois no alto eles não vendem e você não vai ter como curtir.

Cerro Catedral Base

Cerro Catedral Base

Cerro Catedral Base

Cerro Catedral Base

Em seguida partimos para a principal atração do Cerro Catedral para quem não pretende esquiar, ou está visitando-o durante a baixa temporada, que é o teleférico fechado que te leva até ao topo da montanha onde fica o Refugio Lynch, também conhecido como Cable Carril, portanto é só seguir as placas para chegar lá. Em junho de 2014 o preço era de 140 pesos para adultos e 95 para crianças. O lado negativo desse teleférico é que só cabem um pouco mais de 20 pessoas e só existem dois, um subindo e outro descendo, portanto dependendo da quantidade de turistas a espera pode ser grande. Nós tivemos que esperar mais de 1 hora, mas outros turistas comentaram com a gente que chegaram a esperar mais de 2 horas, portanto o ideal é comprar o ingresso logo para garantir o lugar. Levamos em torno de 15 minutos para chegar lá em cima e o visual da subida é bem bacana! Quanto mais alto, mais neve víamos.

Cerro_Catedral_Cable_Carril

Cerro_Catedral_Cable_Carril

Na verdade a subida até o Refugio Lynch acontece em duas etapas. A primeira, feita no teleférico fechado, você chega até uma estrutura com bar fechado e várias mesas ao ar livre para contemplar o visual. Nesse ponto já tem muita neve e as crianças se divertem bastante fazendo esquibunda, caso você tenha comprado a prancha na base como eu mencionei, ou então simplesmente fazendo guerra de neve. Também é possível tirar fotos com bonecos de neve, mas é pago a parte para o fotógrafo.

Cerro Catedral

Cerro Catedral

Cerro Catedral

Cerro Catedral

Para chegar ao Refugio Lynch efetivamente é necessário tomar um outro meio de elevação de cadeirinha, que são os mais comuns em estações de esqui. Esse trecho não é muito grande, mas essa subida adicional faz toda diferença na paisagem. É que ao contrário da parada anterior, aqui você está no ponto mais alto, portanto não tem nada que obstrua sua visão. É possível ver bem longe e a paisagem com toda aquela neve e lagos é sensacional!!!

Refugio Lynch

Refugio Lynch

Refugio Lynch

Refugio Lynch

Refugio Lynch

São vários pontos de observação, portanto o ideal é ir percorrendo devagar todos. Recomendo só tomar cuidado ao caminhar nesse pedaço, pois escorrega bastante e todo cuidado é pouco. Na parte da frente tem uma pedra com uma bandeira da Argentina fincada bem bonita, que dá um toque especial a paisagem!

Refugio Lynch

Refugio Lynch

Refugio Lynch

Refugio Lynch

Quando estiver cansado, é possível parar um pouco dentro do bar do Refugio Lynch e tomar uma bebida para esquentar e relaxar. Acabei não entrando e voltando logo para a primeira parada, pois era mais divertido para brincar e também tinha opções de comida e bebida.

Refugio Lynch

Refugio Lynch

Ao final do passeio voltamos para a base da estação e tomamos o ônibus de volta ao centro. O ponto para voltar fica no mesmo local onde você desembarcou, portanto é bem fácil encontrar. Apesar de a estação ainda não estar aberta oficialmente, gostamos bastante do passeio pelo visual do Refugio Lynch e a possibilidade de brincar um pouco na neve. Para visitar o Cerro Catedral, ao contrário dos passeios anteriores, caso você não tenha, recomendo o aluguel de roupa de neve (caso seja inverno, é claro!). Além de ficar mais tranquilo para curtir a neve, em alguns locais é bem escorregadio e seu pé afunda na neve, por isso uma boa bota impermeável é essencial, além da roupa para se proteger do frio, que pode ser bem pesado lá no alto.

Ainda fizemos outros passeios e vou contar em breve nos próximos posts.

Acompanhe e curta também o Wazari no Facebook

Leia também:

Bariloche: onde se hospedar
Bariloche: um passeio pelo Centro
Bariloche: Cerro Otto
Bariloche: Circuito Chico e Cerro Campanário
O que fazer em Buenos Aires – Centro
O que fazer em Buenos Aires – Outras regiões
Buenos Aires: Um show de tango
Buenos Aires: Onde comer
Buenos Aires com crianças

 
14 Comentários

Publicado por em Agosto 19, 2014 em Argentina, Bariloche

 

Etiquetas: ,

Bariloche: Circuito Chico e Cerro Campanário

Um dos passeios mais tradicionais para quem visita Bariloche é o famoso Circuito Chico. Esse passeio é uma espécie de city-tour das paisagens ao longo dos lagos Nahuel Huapi e Perito Moreno, mais precisamente toda a região a oeste da cidade percorrida pela Avenida Exequiel Bustillo e outra estrada secundária. Faz parte do passeio também o belo Cerro Campanário, como veremos mais adiante. Ao todo ele dura entre 3 horas e meia e 4 horas, portanto vai tomar metade do seu dia. Sendo assim, você pode optar por fazer pela manhã ou pela tarde. Veja o mapa abaixo para ter uma ideia do caminho percorrido durante o passeio.


Como não alugamos carro, só tínhamos a opção de fazer o passeio com um remis, que é um táxi particular, ou fechar um tour com uma das várias agências de turismo que existem na cidade. Até existe um ônibus municipal que percorre a Avenida Exequiel Bustillo, mas além de bem mais demorado, ele não percorre uma grande parte do passeio e perde vários pontos com visuais interessantes, portanto não recomendo. Alugando um carro ou contratando um remis você fica com uma liberdade maior, mas essas opções são mais caras que o tour das agências. Acabamos fechando o passeio no próprio hotel com uma agência indicada por eles, que eu acabei não guardando o nome, e no final acabamos ficando bem feliz com a escolha. Pagamos 120 pesos por pessoa. Além de mais barato, o nosso motorista-guia era muito simpático e prestativo e durante todo o caminho foi contando a história da cidade e curiosidades sobre os locais que estávamos visualizando, algo que não teríamos se fizéssemos por conta própria. Além disso ele não parou em nenhuma loja no caminho para ganhar comissão, o que é comum nesses passeios. Acho que demos sorte com o guia e a empresa, o que ajudou a tornar o passeio bem mais agradável!

Bem, vamos então ao passeio em si. Conforme já mencionei, a primeira parte do Circuito Chico é feito percorrendo a Avenida Exequiel Bustillo e beirando o belo lago Nahuel Huapi. Não saltamos da van em nenhum momento nesse trecho, mas o motorista parou em alguns pontos para tirarmos fotos pela janela mesmo. Como saímos as 9 horas do hotel, pegamos um sol ainda nascendo aos poucos e a paisagem do lago estava belísssima.

Bariloche Circuito Chico

Bariloche Circuito Chico

Ao longo desse trecho você passa também pelo Cerro Campanário, mas o nosso motorista já tinha nos avisado que faríamos só na volta, pois a grande maioria dos tours param na ida e o mesmo fica lotado, reduzindo nosso tempo útil no Cerro. Dito e feito, quando passamos o estacionamento estava completamente lotado de ônibus e vans e na volta não tinha praticamente ninguém, portanto mais um ponto para o nosso motorista!

Sendo assim, nossa primeira parada efetiva acabou acontendo só no famoso Hotel Resort Llao Llao. Paramos primeiro em um mirante em frente para observá-lo de longe com a montanha ao fundo, o que é uma das fotos de cartão postal mais famosas da cidade. Nesse mirante também é possível tirar uma foto com o cão São Bernardo pagando um extra. Em seguida ele nos levou até a porta do hotel efetivamente, mas não paramos para descer e conhecê-lo por dentro, o que pode ser feito por conta própria depois.

Bariloche_Llao_Llao

Bariloche_Llao_Llao_2

Depois do hotel o passeio seguiu por uma estrada mais secundária pelo meio da floresta. Próxima parada foi um pouco mais adiante em uma espécie de “praia” com vista para o Lago Nahuel Huapi. Paisagem muito bonita e diferente!

Bariloche Circuito Chico

Bariloche Circuito Chico

Bariloche Circuito Chico

Seguimos pela estrada do Circuito Chico, agora contornando o Lago Perito Moreno e quando chegamos em um trecho bem alto paramos mais uma vez. A paisagem nesse ponto é espetacular e mais bonita que a anterior, mas o passeio ainda nos reservaria novas surpresas. Ao fundo também é possível observar o Llao Llao de outro ângulo. O nosso motorista, sempre muito prestativo, tirou foto de todos e nos indicava os melhores ângulos. Nessa parada também existem alguns vendedores de artesanato, caso você tenha interesse.

Bariloche Circuito Chico

Bariloche Circuito Chico

Bariloche Circuito Chico

Bariloche Circuito Chico

A última parada do passeio foi a mais esperada. Chegamos ao Cerro Campanário e estava bem vazio, portanto praticamente não pegamos fila para comprar os ingressos e pegar o teleférico. Em junho de 2014 o bilhete custava 90 pesos para adultos e 45 pesos para crianças e não está incluso no preço do tour. Ao contrário do Cerro Otto, aqui o teleférico é bem mais simples e similar as cadeirinhas usadas nas estações de esqui. São somente 2 assentos juntos e você vai com a perna de fora, portanto é bom se planejar antes da subida para ver quem vai com quem, pois as crianças devem ser acompanhadas por adulto por segurança. A subida é bem tranquila e não demora muito, levando em torno de 10 minutos. Se você tem medo de altura, não se preocupe, pois apesar da cadeirinha ser mais desprotegida que uma cabine, a subida é toda rente a montanha e não dá muito medo, pois a altura é baixa.

Bariloche_Cerro_Campanario

Como ainda não tinha nevado tanto, o Cerro Campanário, ao contrários dos outros na cidade, não tinha praticamente neve nenhuma, o que facilitou os deslocamentos entre os vários mirantes. Quando começamos finalmente a vislumbrar as paisagens, confirmamos o que já tínhamos lido e ouvido de outros viajantes, que a vista do Cerro Campanário é realmente a mais bonita de Bariloche. Pelo menos em nossa opinião, é claro! Não é exagero, mas a vista é simplesmente espetacular e você não se cansa de observar aquela paisagem sensacional! Não deixe de percorrer os diversos mirantes para ter uma visual completo de todos os lados da montanha, já que eles são bem próximos e mesmo com o tempo limitado pelo passeio, dá para ver todos.

Bariloche_Cerro_Campanario

Bariloche_Cerro_Campanario

Bariloche_Cerro_Campanario

Bariloche_Cerro_Campanario

Bariloche_Cerro_Campanario

Se você estiver com fome ou sede, não deixe de passar no bar, que está virado para o lado mais bonito, portanto se sentar em suas mesas não é nada mal! Pena que o tempo é limitado e você tem que descer logo para encontrar seu grupo, portanto não sobra muito tempo para curtir essa parte. Essa foi a única desvantagem do tour, pois se estivéssemos por conta própria poderíamos ter ficado mais tempo, mas mesmo assim adoramos o passeio.

Bariloche_Cerro_Campanario_Bar

Voltamos ao centro na hora do almoço e gostamos bastante do Circuito Chico. Como vocês podem observar, não tivemos contato com a neve em nenhum pedaço e a roupa de neve não foi necessária, portanto não é necessário alugar. Durante o inverno mais forte deve ter bem mais neve no Cerro Campanário, portanto talvez uma bota seja recomendável para não escorregar e molhar.

Acompanhe e curta também o Wazari no Facebook

Leia também:

Bariloche: onde se hospedar
Bariloche: um passeio pelo Centro
Bariloche: Cerro Otto
O que fazer em Buenos Aires – Centro
O que fazer em Buenos Aires – Outras regiões
Buenos Aires: Um show de tango
Buenos Aires: Onde comer
Buenos Aires com crianças

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em Agosto 11, 2014 em Argentina, Bariloche

 

Etiquetas: ,

Bariloche: Cerro Otto

Depois de dar uma volta pelo centro da cidade, o primeiro passeio que nos aventuramos foi o Cerro Otto. Todas as montanhas ao redor da cidade são chamadas de Cerro e o Otto é o mais próximo de todos e o mais fácil de chegar. Outra vantagem é que ele não toma muito tempo e pode ser facilmente combinado com outros passeios. No nosso caso, passeamos pelo centro pela manhã, como você pode ler nesse post, e depois visitamos o Cerro Otto pela tarde, o que foi bem tranquilo.

O bom desse passeio é que você não precisa de carro ou táxi, pois existe um ônibus gratuito que sai da esquina da Mitre com Villegas e te leva em 15 minutos até a porta do teleférico. Essa é uma das vantagens de se hospedar no centro. Se alguém tentar te vender esse passeio, não aceite, pois você pode fazer tudo por conta própria com esse ônibus gratuito e os guias costumam cobrar o dobro do preço que você vai gastar sozinho. Existe ainda um quiosque nessa mesma esquina informando os horários dos ônibus e vendendo o bilhete para o teleférico, o que eu recomendo comprar, pois assim você já chega lá com o bilhete em mãos e não precisa pegar fila. Em junho de 2014 o bilhete custava 130 pesos para adultos e 80 pesos para crianças.

Bariloche Cerro Otto Teleférico

Bariloche Cerro Otto Teleférico

O teleférico é bem conservado e todo fechado. Cabem até 4 pessoas e a viagem até o topo é bem tranquila, levando em torno de 15 minutos. À medida que você vai subindo vai se aproximando da neve no topo da montanha e vai tendo um visual bacana da paisagem ao redor, mas não precisa se preocupar pois você vai conseguir ver tudo com calma lá em cima.

Bariloche Cerro Otto Teleférico

Bariloche Cerro Otto Teleférico

Chegando lá em cima você terá algumas opções. A primeira delas é ir ao deck de observação externo para apreciar a bela vista ao redor, com todas as montanhas nevadas e lago Nahuel Huapi ao fundo. O visual é fantástico e muito mais bonito ao vivo do que as fotos que já tínhamos visto antes da viagem. Realmente você tem que ver com seus próprios olhos para ter noção da beleza e a partir daí já tínhamos certeza que a viagem ia ser inesquecível! No entanto, esse visual perde em relação aos Cerros Campanário e Catedral que vou mencionar mais a frente. Como foi o primeiro Cerro que subimos, ficamos encantados e foi ótimo termos optado por ele primeiro, já que se tivéssemos visto os outros antes talvez ele tivesse perdido um pouco da graça. Isso não quer dizer que não valha a pena, muito pelo contrário, já que todos os visuais de Bariloche são de cair o queixo!

Bariloche Cerro Otto

Bariloche Cerro Otto

Bariloche Cerro Otto

Bariloche Cerro Otto

Bariloche Cerro Otto

Como já tinha nevado bastante nas semanas anteriores, no deck já existia bastante neve, o que fez a festa do meu filho. Foi o primeiro contato dele com a neve, então ele estava doido para pegar e fazer uma guerra de bola de neve. Curtimos bastante o visual, mas também passamos um bom tempo brincando na neve!

Para quem deseja tirar uma foto com os famosos cães São Bernardo, existe essa opção também no Cerro Otto, só que paga a parte.

Bariloche_Cerro_Otto_Sao_Bernardo

Apesar de o foco principal ser o visual, no Cerro Otto também é possível fazer um pouco de esquibunda. Existem algumas pistas pequenas para aproveitar e ao final da descida você pode pegar um trenzinho para subir. A atividade também é paga a parte e você ganha o direito a 3 descidas. Esse é um detalhe importante para quem pretende fazer essa visita, pois a roupa de neve só é necessária para quem vai fazer esquibunda, pois caso contrário uma boa roupa para frio já é suficiente para curtir o passeio, já que seu contato com a neve é pequeno e basta ter uma boa luva impermeável para poder brincar. Portanto sugiro pensar nisso antes de subir, pois pode fazer uma boa diferença.

Bariloche_Cerro_Otto_Esquibunda

Bariloche_Cerro_Otto_Esquibunda

Bariloche_Cerro_Otto

Para encerrar o passeio, fomos comer no famoso restaurante giratório. Eu já não tinha muita expectativa, pois já sabia que era extremamente turístico e todos os comentários eram de que a comida era simples. A qualidade da comida realmente é bem regular e o atendimento é péssimo, pois são muitos poucos atendentes e você espera muito, portanto não pode ir com pressa. Vale só pelo visual e o fato original de ser giratório!

Bariloche Cerro Otto Restaurante

Bariloche Cerro Otto Restaurante

Bariloche Cerro Otto Restaurante

Ao final, pegamos o teleférico e volta e depois novamente o ônibus gratuito até o centro, portanto passeio muito bonito, barato e tranquilo de ser feito.

Acompanhe e curta também o Wazari no Facebook

Leia também:

Bariloche: onde se hospedar
Bariloche: um passeio pelo Centro
O que fazer em Buenos Aires – Centro
O que fazer em Buenos Aires – Outras regiões
Buenos Aires: Um show de tango
Buenos Aires: Onde comer
Buenos Aires com crianças

 
10 Comentários

Publicado por em Agosto 5, 2014 em Argentina, Bariloche

 

Etiquetas: ,