RSS

Arquivo de etiquetas: Toscana

San Gimignano

Depois de nos encantar com Siena, partimos para a belíssima San Gimignano, cidade medieval famosa por suas torres. Das 72 torres originais, ainda restam 14 para serem admiradas. A cidade é bem pequena, mas não se deixe enganar pelo seu tamanho, pois para mim é outra atração imperdível na Toscana e que não pode ficar de fora de qualquer roteiro pela região. Devido ao seu tamanho, pode ser conhecida em meio dia e facilmente combinada com outra cidade.


Para fazer o trajeto Siena-San Gimignano de carro, a minha recomendação é você fugir da auto-estrada Siena-Firenze, que apesar de ser mais rápida, é uma estrada como outra qualquer. O ideal é seguir pela SR2, que é uma estradinha pequena e super charmosa e a cada curva você se surpreende com as paisagens. Nesse ponto o GPS não vai te ajudar muito, pois ele vai sempre te indicar o caminho mais rápido e você terá que tomar algumas direções por conta própria, apenas se guiando pelas placas. Com o tempo ele entende o que você quer e se ajusta. 🙂


Ao redor da cidade existem 4 estacionamentos bem estruturados para você estacionar e a cobrança é por hora. O melhor localizado fica ao lado da Piazzale Martiri, que fica em frente ao portão principal da cidade, mas normalmente está cheio e você terá que se dirigir aos próximos. Basta seguir as placas. Depois você pega o cartão magnético de controle e paga em uma maquina automática na volta.


Como paramos no estacionamento mais longe, subimos pela via Folgore de San Gimignano até a via San Matteo, que é a principal rua de comércio da cidade, junto com a via San Giovanni. As duas vias atravessam a cidade de ponta a ponta e percorrem os principais pontos turísticos. As ruas são bem bonitas e a arquitetura é bem conservada, como na maioria das cidades da região.


Subindo a via San Matteo você chega no centro da cidade. A primeira parada foi na Piazza del Duomo, onde se encontra o Duomo da cidade e o Palazzo del Popolo. Infelizmente não pudemos entrar no Duomo, pois o mesmo estava fechado para uma celebração e não ia mais abrir naquele dia. Ao lado do Palazzo fica a torre mais alta da cidade, pelo menos entre as 14 que sobraram, portanto aproveite para subir e ver a vista lá de cima. Nessa praça também fica o centro de informações, onde você pode pegar o seu mapa gratuito da cidade.


Mais adiante chegamos na Piazza della Cisterna, que é sem dúvida nenhuma a parte mais bonita da cidade e o seu cartão postal. É muito gostoso se sentar ao redor do poço (sim, tem um poço!), que fica bem no meio da praça, e ficar admirando com calma a beleza das construções e o movimento das pessoas.


Para o passeio ficar ainda mais gostoso, nada como fazer isso acompanhado de um belo sorvete italiano. Só que não é qualquer sorvete não, pois a Gelateria di Piazza já foi eleita 2 vezes a melhor sorveteria do mundo. Eu não confio muito nesses prêmios, já que várias sorveterias se dizem a melhor do mundo, mas posso afirmar que foi o melhor sorvete que já comi na vida! Devido à sua fama, ela sempre fica com uma fila na porta, mas não se assuste, pois ela é rápida e o sabor vale qualquer sacrifício! 🙂



Leia também:

Chegando a Roma
Um dia em Roma

 
8 Comentários

Publicado por em Dezembro 23, 2010 em Itália, San Gimignano

 

Etiquetas: , , ,

Siena

Siena é uma das cidades mais bonitas da Toscana, senão a mais, e imperdível para qualquer viajante que passe por essa região. Sua fama não é a toa, pois tem muitas atrações interessantes e uma das igrejas mais bonitas que eu já vi. Assim como grande parte das cidades dessa região, seu centro histórico é todo murado e muito bem conservado. Siena disputou por muitos anos o título de cidade mais importante da região com a rival Florença, até ser devastada pela peste negra no século XIV, mas nunca perdeu seu esplendor.


A cidade murada é relativamente grande, mas dá para caminhar bem a pé, mesmo para quem fica hospedado próximo aos muros, como foi o nosso caso. Aqui também o barato é caminhar pelas ruas e observar de perto a arquitetura das construções e as lojas bacanas que existem pelo caminho. Essas últimas são de extremo bom gosto e com produtos de qualidade, dando um ar requintado a cidade.


A vida na cidade histórica gira em torno da famosa Piazza del Campo, que para mim é uma das praças mais bonitas da Europa! O seu formato é bem diferente das praças tradicionais, lembrando mais um leque de tijolos vermelhos dividido em 9 pedaços, que segundo a lenda representam os líderes que governavam a cidade na época de ouro nos séculos XIII e XIV. Em um de seus lados se encontra o tradicional Palazzo Público e sua Torre del Mangia, que oferece uma vista bem legal da cidade e da praça, mas você tem que encarar em torno de 500 degraus de escada íngreme, portanto é só para quem tem disposição! É nessa praça também que é realizado, duas vezes ao ano, o Palio de Siena, famosa corrida de cavalos criada na época medieval para congregar a cidade e onde cada conjunto representava um dos 17 bairros da região, com seus brasões e cores típicas. A corrida acontece até hoje nos dia 2 de julho e 16 de agosto e é um dos eventos turísticos mais tradicionais da cidade.


Se não bastasse essa linda praça, o próximo passo é visitar o estonteante Duomo de Siena e adjacências, já que também é possível visitar o Museu dell’Opera, o batistério, a cripta e o oratório. Todas essas atrações são pagas e você pode escolher entre comprar bilhetes individuais ou um passe de €10, que te dá direito a entrar em todas elas durante 3 dias consecutivos. Só o bilhete para o Duomo custa €6, portanto se você pretende visitar tudo é mais vantajoso comprar o passe. Todos os preços podem ser consultados aqui.


O Duomo foi construído no século XIII e já passou por diversas reformas e expansões. Por fora já é muito bonito, mas é quando você adentra sua estrutura que você se encanta. Todos os pilares da nave principal são de mármore branco e preto listrado, o que é bem original e dá um toque diferente ao visual. O piso também é formado por vários painéis de mármore todos trabalhados e lindíssimos, sendo alguns inclusive protegidos por corda para você não pisar e estragar a obra. As paredes também são verdadeiras obras de arte, assim como o púlpito de Nicola Pisano. No canto esquerdo da nave você encontra uma passagem para a biblioteca Piccolomini, que é de uma beleza impressionante! São vários afrescos de Pinturicchio ao redor de toda a sala em homenagem ao Papa Pio II, além de um teto todo trabalhado. É arte para todo lado que você olha!


Atrás do Duomo se encontra o batistério, que é bem simples se comparado ao primeiro, e não tem nada de muito encantador. Sinceramente não acho que compense a visita, e se você estiver sem tempo, ou apenas deseje economizar um ingresso, a minha recomendação é pular essa atração.


Siena é uma cidade um pouco maior que as demais da região e que compensa você passar pelo menos uma noite. Como a cidade é muito turística, os preços são altos, principalmente dentro dos muros. Como queríamos um quarto quádruplo, optamos pelo Hotel Italia (Viale Camillo Benso Conte di Cavour, 67), que fica fora do muro, mas bem junto ao um dos portões de entrada e a apenas 15 minutos de caminhada do centro. Gostamos muito do hotel e do atendimento! Quarto novo, limpo e espaçoso, formado na verdade por um quarto de casal e uma sala com 2 sofás cama. O café da manhã também era bem gostoso, apesar de nada de excepcional.


No quesito comida, seguimos uma dica da recepcionista do hotel e experimentamos um restaurante próximo ao hotel que gostamos tanto, que acabamos voltando no dia seguinte. É a Trattoria Fonte Giusta (Via Camollia, 102), que tem um ambiente e pratos bem requintados e uma excelente massa caseira. Adoramos o pici, que é uma espécie de spaghetti mais grosso. As outras massas também estavam ótimas e o prato que gostamos menos foi o de carne. O Tiramisu de sobremesa estava sensacional e foi o melhor que comi nessa viagem. Ele era tão leve e molhado, que você comia sem sentir. Uma delícia! Infelizmente o restaurante não fica tão bem localizado e um pouco afastado do centrão turístico, mas ideal para quem se hospeda por aquela região, como nós. Pagamos €52 para 3 adultos e uma criança.

Bruscheta

Tortellini de ricota com espinafre ao ragu

Pici ao ragu

File ao molho de chianti

Tortelilini de queijo com espinafre ao molho branco

Tiramisu


Próxima parada: San Gimignano.


Leia também:

Chegando a Roma
Um dia em Roma

 
10 Comentários

Publicado por em Dezembro 21, 2010 em Itália, Siena

 

Etiquetas: , , ,

Arezzo

A nossa próxima parada foi em Arezzo, que ao contrário dos outros destinos, não nos encantou muito. Das cidades da Toscana, foi a que menos nos agradou, mas mesmo assim tem suas virtudes. De Cortona até Arezzo gasta-se em torno de 50 minutos e mais uma vez a estrada é uma das atrações, bem bucólica e com belas vegetações. A cidade é maior do que as outras que visitamos anteriormente, sendo que em volta do centro histórico, que é onde se encontram as atrações turísticas, é uma cidade como qualquer outra. Portanto, o ideal é você deve se dirigir logo ao centro histórico e procurar um estacionamento próximo, já que as ruas são para pedestres e você não pode entrar nessa região de carro. Se você estiver motorizado, recomendo parar nos estacionamentos da via Giuseppe Garibaldi, que não são caros, a localização é ótima e tem bastante vaga.


A principal rua comercial do centro histórico é a Corso Italia, que é bem agradável para se caminhar e conta com diversas lojas. Também é interessante caminhar pela via Andrea Cesalpino, que é paralela a esta e bem menor e não tem comércio nenhum. O ideal é subir por uma e descer por outra para você pode conhecer um pouco melhor essa região.

Corso Italia

Via Andrea Cesalpino


Não é nenhuma novidade que os italianos gostam muito de andar de vespa, até porque o trânsito é caótico nas principais cidades, mas uma coisa que me impressionou foi a quantidade de senhoras andando nas suas vespas e ainda tirando onda! 🙂 Consegui registrar uma delas em Arezzo. Veja só!


Se você subir pela via Andrea Cesalpino, vai passar pela Basílica de San Francesco, que é uma igreja bem antiga e conta com afrescos de Piero della Francesca.


No final da ladeira dessa via, você se depara com as principais atrações da cidade: o Palazzo Comunale e o Duomo. A arquitetura do palazzo é bem bonita e rende boas fotos. Já o Duomo, apesar de imponente por fora, tem um interior um pouco simples, principalmente se comparado com os duomos das outras cidades da região.

Palazzo Comunale

Duomo


Descendo de volta pela via Corso Italia, você deve fazer um pequeno desvio para encontrar a Piazza Grande ou Piaza Vasari, que para mim é a parte mais bonita da cidade. Quando eu vi o nome Vasari (Wazari!!!), tinha certeza que essa praça seria imperdível!!! Tá vendo, sabia que um dia alguém iria reconhecer o meu valor!!! 🙂 Segundo boatos locais, eles colocaram esse nome só porque sabiam da nossa chegada na cidade! Erraram duas letras, mas ninguém é perfeito e o responsável já foi devidamente advertido!!! :mrgreen:

A praça é realmente bonita e no dia em passamos por lá estava acontecendo uma feira de produtos franceses, que apesar de tampar um pouco da paisagem e beleza da arquitetura das construções, nos permitiu vivenciar um pouco do dia-a-dia dos moradores da cidade e ainda provar umas guloseimas francesas!


Depois foi só descer a Corso Italia até o seu final, curtindo o seu comércio e o movimento de moradores, e pegar o carro para partir para o próximo destino: Siena. Até lá!

Leia também:

Chegando a Roma
Um dia em Roma

 
2 Comentários

Publicado por em Dezembro 17, 2010 em Arezzo, Itália

 

Etiquetas: , , ,