RSS

Bariloche: um passeio pelo centro

Como eu havia dito no post anterior, Bariloche é um destino para muitos dias, já que existem vários passeios bacanas e que consomem bastante tempo. Nós passamos 6 noites na cidade e mesmo assim não foi possível fazer tudo, portanto é importante ler e pesquisar bastante sobre todos os passeios para decidir quantos dias você deseja passar em Bariloche. Os passeios são realmente incríveis e muito melhor ao vivo, já que mesmo as fotos não conseguem transmitir com exatidão o que te espera e a enorme beleza das paisagens. Todos superaram nossas expectativas!

O primeiro passo antes de fechar uma viagem para Bariloche é decidir a melhor época para a empreitada. O inverno é a época mais desejada pela maioria, portanto também a mais cara e lotada, devido à presença da neve e a possibilidade de esquiar, mas as paisagens são bonitas em qualquer época. A neve é mais garantida da segunda quinzena de julho até setembro, mas se você tiver sorte, é possível pegar neve em outras épocas também, como foi o nosso caso. Fomos em junho sem nenhuma garantia que veríamos neve, mas esse ano a neve chegou mais cedo e assim pudemos curtir Bariloche em toda sua plenitude, só que com tarifas bem mais baratas e sem a grande concentração de turistas.

Aproveitamos que no primeiro dia o clima não estava tão bom pela manhã para conhecer o centro da cidade e suas atrações, já que a maioria dos outros passeios é influenciada diretamente pelo clima e a visibilidade. O Centro Cívico é a principal atração, que é basicamente um conjunto arquitetônica muito bonito, declarado monumento histórico nacional em 1987, com várias construções que abrigam as principais instituições da cidade, como a Prefeitura, Biblioteca, Museu, Polícia, etc..

Bariloche Centro Civico

Bariloche Centro Civico

Bariloche Centro Civico

Bariloche Centro Civico

Bariloche Centro Civico

Todo o conjunto fica ao redor de uma praça com um monumento em homenagem ao General Julio Roca, sendo que um dos lados da praça é aberto para o Lago Nahuel Huapi, que margeia toda a extensão da cidade e é um dos seus principais cartões postais. Ele realmente é muito bonito, já que conta com diversas montanhas ao fundo para compor a paisagem.

Bariloche Lago Nahuel Huapi

Saindo do Centro Cívico pelo portão principal você cai diretamente na Calle Mitre, que é a principal rua comercial do centro e a mais turística. Lá você irá encontrar muitas lojas de roupas de frio, artesanato, restaurantes e alguns centros comerciais. Existem várias lojas que alugam roupas de frio para os passeios e a variedade de qualidade é muito grande entre elas, assim como os preços, por isso é importante ficar atento. Eu só recomendo o aluguel para os dias em que você for ter uma grande interação com a neve, como Cerro Catedral e Piedras Blancas, pois para os outros Cerros dá para tranquilamente visitá-los com roupas comuns e casacos mais pesados, sem necessariamente serem específicos para neve.

Bariloche Calle Mitre

Bariloche Calle Mitre

No entanto, um dos pontos altos da Mitre é sem dúvida nenhuma as famosas lojas de chocolate de Bariloche. São várias marcas e todas possuem algumas lojas espalhadas pela rua e outros pontos da cidade, portanto você vai com certeza passar por várias delas a cada esquina. Essa fartura toda gera uma certa confusão, pois você fica sem saber qual é melhor ou qual tem o melhor custo-benefício. Na verdade não existe uma resposta exata para essas perguntas e depende muito do gosto pessoal de cada um. As mais famosas são a Mamuschka, RapaNui, Abuela Goye e Del Turista. Experimentamos todas, mas a que gostamos mais, tanto pela qualidade do chocolate, quanto pelo atendimento mais atencioso, foi a Mamuschka. Todas suas filiais sempre ofereciam amostra gratuitas e foi o chocolate que achei mais gostoso, apesar das outras não ficarem muito atrás.

Bariloche chocolate

Bariloche chocolate

Bariloche chocolate

Bariloche chocolate

Para encerrar o passeio pelo centro, entre a Mitre e o Lago Nahuel Huapi fica a Catedral de Bariloche. Ele não é muito grande, mas tem uma certa imponência e uma fachada bonita. Por ficar bem ao lado do lago, o frio era um pouco maior nessa região, mas nada que atrapalhasse.

Bariloche catedral

Bariloche catedral

Acompanhe e curta também o Wazari no Facebook

Leia também:

Bariloche: onde se hospedar
O que fazer em Buenos Aires – Centro
O que fazer em Buenos Aires – Outras regiões
Buenos Aires: Um show de tango
Buenos Aires: Onde comer
Buenos Aires com crianças

 
2 Comentários

Publicado por em Julho 31, 2014 in Argentina, Bariloche

 

Etiquetas: ,

Bariloche: onde se hospedar

Bariloche era um destino que estava há muito tempo na nossa lista de desejos e por ser amplamente visitada e procurada pelos brasileiros todos os anos, era um dos pontos falhos aqui do blog. Agora não é mais! Nos próximos posts vou contar tudo sobre nossa passagem pela cidade e os principais passeios que realizamos com nosso filho, pois além de muito bonita, Bariloche é um destino para toda a família e as crianças adoram!

Bariloche_vista_cerro_campanario

Bem, eu sempre começo uma série sobre um destino com dicas básicas de planejamento, portanto essa não será diferente. Você pode chegar à cidade via a travessia dos lagos a partir do Chile, mas o mais comum é chegar de avião a partir de Buenos Aires ou outra cidade argentina. O aeroporto não é muito afastado e é bem tranquilo tomar um táxi até o seu hotel. O nosso ficava bem no centro e pagamos 150 pesos, mas existem hotéis mais afastados cuja corrida será mais cara.

O primeiro passo, portanto, é decidir onde se hospedar. Isso é essencial em qualquer cidade, especialmente em Bariloche. Existem 2 regiões bem distintas e que influenciam diretamente em sua experiência. Não existe certo ou errado, pois cada família tem uma necessidade ou gosto diferente, portanto o importante é saber as vantagens e desvantagens de cada tomar a decisão que melhor se adeque as suas necessidades.


A primeira região é o centro da cidade (marcada em verde no mapa), que fica nos arredores da Calle Mitre e Calle Moreno. Essa região é extremamente comercial e portanto ideal para quem gosta de sair do hotel e caminhar até um restaurante, chocolateria ou loja sem depender de qualquer tipo de condução, além de explorar atrações próximas, ou seja, fica um pouco mais independente. Só pegará algum tipo de transporte para os passeios. Existem hotéis de várias categorias e somente alguns oferecem uma vista do lago Nahuel Huapi, ou seja, são hotéis mais urbanos e normalmente sem grandes luxos ou glamour, com algumas exceções.

A segunda região é fica a oeste do centro da cidade e se estende ao longo da Avenida Exequiel Bustillo (marcada em vermelho no mapa). Nessa região ficam normalmente os hotéis mais luxuosos e românticos, muitos com um visual do lago. São normalmente indicados para quem está em lua-de-mel, ou deseja algo mais requintado. É nessa região que fica o Hotel Llao Llao, que é considerado o hotel mais luxuoso da cidade e de tão famoso, já virou até atração turística. O lado negativo é que você fica totalmente isolado, tudo é longe e você depende de condução para qualquer atividade, inclusive jantar. Nesse caso o ideal talvez seja alugar um carro para ficar mais independente.

Bariloche_Llao_Llao

Agora que você já sabe a diferença entre as regiões e pode decidir melhor, vou mostrar o hotel que escolhemos. Optamos por nos hospedar no centro e queríamos algo com uma boa infra, ao mesmo tempo bem localizado e sem grandes luxos. Escolhemos o Hotel Cristal, que fica localizado no coração da Calle Mitre, principal avenida comercial da cidade. Não nos arrependemos, pois além da ótima localização perto de tudo, o hotel é excelente.

Bariloche Hotel Cristal

Bariloche Hotel Cristal

Ele é antigo, mas está totalmente reformado e os quartos são bem confortáveis. O único lado negativo é que é o aquecimento, que é central e muito forte, portanto as vezes tínhamos que abrir a janela do quarto para amenizar o calor interno.

Bariloche Hotel Cristal

Bariloche Hotel Cristal

Bariloche Hotel Cristal

Destaque especial para os funcionários na recepção, que são extremamente simpáticos e prestativos. Outro grande diferencial do hotel é sua piscina interna no térreo com água climatizada, que é uma delícia para relaxar no final do dia após os passeios.

Bariloche Hotel Cristal

Bariloche Hotel Cristal

Bariloche Hotel Cristal

O hotel também conta com garagem gratuita para quem deseja alugar um carro, o que também não é comum nos hotéis do centro. O café da manhã era bom e tinha várias opções, mas eles demoram a repor os produtos que acabam. Nada que comprometa.

Bariloche Hotel Cristal

Bariloche Hotel Cristal

Bariloche Hotel Cristal

Depois de escolher sua opção de hospedagem, é hora de passear. Nos próximos posts vou contar tudo sobre todos os passeios que realizamos. Como você poderá ver, é necessário passar vários dias na cidade para conseguir fazer os passeios básicos e curtir Bariloche como se deve, portanto não é um destino para se passar pouco tempo. Nós ficamos 6 noites e mesmo assim faltou tempo para fazer alguns passeios interessantes. Aguardem!

Acompanhe e curta também o Wazari no Facebook

Leia também:

O que fazer em Buenos Aires – Centro
O que fazer em Buenos Aires – Outras regiões
Buenos Aires: Um show de tango
Buenos Aires: Onde comer
Buenos Aires com crianças

 
4 Comentários

Publicado por em Julho 28, 2014 in Argentina, Bariloche

 

Etiquetas: , ,

Buenos Aires: mais restaurantes

Já comentei sobre restaurantes em Buenos Aires nesse outro post, mas nessa última viagem experimentamos mais alguns e vou compartilhar os que mais gostamos. Buenos Aires tem restaurantes excelentes das mais variadas especialidades, mas nós acabamos sempre curtindo mais os de carne, ou parrilla, pois são a especialidade local e nós amamos uma boa carne!

La Cabrera (José Antonio Cabrera 5099 – Palermo)

Buenos Aires La Cabrera Parrilla

Buenos Aires La Cabrera Parrilla

O La Cabrera é um dos mais conhecidos restaurantes de parrilla da cidade e nos últimos anos sua fama só vem crescendo. Por esse motivo, fazer uma reserva com antecedência é essencial, pois senão vai esperar horas na fila e em muitos casos nem vai conseguir lugar. Ele possui 2 filiais na mesma rua e bem próximas uma da outra e no mesmo quarteirão, portanto se não tiver vaga disponível em uma delas, tente na outra. O restaurante é realmente muito bacana e o atendimento super atencioso. As carnes são sensacionais e contam com acompanhamentos bem diferentes. Além do acompanhamento incluso no prato, eles servem de cortesia pequenas porções de outros acompanhamentos para você experimentar, o que achei muito bem bolado por parte deles, pois assim eles conquistam os clientes de forma simples e eficiente. Os pratos custam um pouco acima da média de outros restaurantes, mas nada demais, ainda mais se levarmos em conta a excelente qualidade da comida.

Buenos Aires La Cabrera Parrilla

Buenos Aires La Cabrera Parrilla

Buenos Aires La Cabrera Parrilla

Buenos Aires La Cabrera Parrilla

Buenos Aires La Cabrera Parrilla

Chiquilín (Sarmiento, 1599, Esq. Montevideo – Centro)

Chiquilin Restaurante - Buenos Aires

Buenos_aires_restaurante_chiquilin_2

Esse restaurante foi uma grande surpresa, pois não tínhamos indicação nenhuma sobre ele, mas como ficava ao lado do nosso hotel, resolvemos experimentar. Vimos que sua avaliação na internet era boa e os pratos dos clientes eram bonitos, portanto a chance de sucesso era e não nos arrependemos. Restaurante muito bom e atendimento bem prestativo. Além da tradicional carne argentina, o restaurante conta também com ótimos pratos de massa, como o sorrentino da foto. Gostamos tanto que voltamos mais de uma vez!

Chiquilin Restaurante - Buenos Aires

Chiquilin Restaurante - Buenos Aires

Chiquilin Restaurante - Buenos Aires

Chiquilin Restaurante - Buenos Aires

Chiquilin Restaurante - Buenos Aires

Kansas Grill & Bar (Av Libertador 4625 – Palermo)

Restaurante Kansas - Buenos Aires

Restaurante Kansas - Buenos Aires

O Kansas tem 3 filiais espalhadas pela cidade em minha opinião lembra muito esses restaurantes de cadeia que estamos acostumados a comer nos EUA e Brasil. Por ser especializado em carnes, é muito parecido com o Outback, tanto na disposição das mesas e bar, como pelo processo e as filas de espera imensas. O restaurante não aceita reservas, portanto se você não chegar bem cedo, vai esperar mais de 1 hora por uma mesa. Achei o restaurante bom, mas acho que não vale esse espera toda, pois existem outros restaurantes de carne muito melhores e mais autênticos. Recomendo só quando estiver mais vazio.

Restaurante Kansas - Buenos Aires

Restaurante Kansas - Buenos Aires

Restaurante Kansas - Buenos Aires

Depois de contar um pouco sobre a nossa rápida passagem por Buenos Aires, nos próximos posts vou contar tudo sobre o nosso destino principal no país: Bariloche. Aguardem!!!

Acompanhe e curta também o Wazari no Facebook

Leia também:

O que fazer em Buenos Aires – Centro
O que fazer em Buenos Aires – Outras regiões
Buenos Aires: Um show de tango
Buenos Aires: Onde comer
Buenos Aires com crianças

 
2 Comentários

Publicado por em Julho 24, 2014 in Argentina, Buenos Aires, Restaurantes

 

Etiquetas: , ,

 
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.447 outros seguidores